[OneShot] Veneno

    Compartilhe
    avatar
    Pay On
    Gremlin
    Gremlin

    Mensagens : 66
    Reputação : 3
    Data de inscrição : 24/05/2011

    [OneShot] Veneno

    Mensagem  Pay On em Sab Nov 05, 2011 10:48 pm

    - Amor, me conta como aconteceu? - Perguntou Suzane, aninhando-se no peito de Ray, preparando-se para a história.
    Raydric observou o quarto, que tinha sido sua vida nos últimos dias. O lugar estava escuro, iluminado apenas pela luz do luar que entrava pela pequena janela quadrada. Na frente da cama que ele e Suzane estavam deitados, observou uma porta que levava ao banheiro, e, mais atrás, a porta que levava para o corredor da estalagem em que eles estavam morando. Mais pro meio do quarto, havia uma mesinha com várias garrafas de poção e alguns livros. Ele sorriu. Aquilo fazia parte da pesquisa que Su estava se dedicando no último mês, tentando achar um antídoto para o veneno.
    - Claro, Su. - Disse o namorado com a voz fraca - Tudo começou com um sicário, na catedral de Prontera...

    Raydric estava de volta ao castelo, lembrando aquele dia que jamais conseguiria esquecer. A tarde já estava quase acabando, os últimos raios de sol entravam pela janela e davam um tom laranja à cama king-size do quarto de Michael.
    - Raydric, tenho um trabalho para você. - Disse o Paladino Sênior.
    - Poxa, Michael, quantas vezes eu vou ter que pedir para que você me chame de Ray? - Perguntou Ray com desdém - Não sabe que eu odeio esse nome?
    - É um nome muito digno, Raydric. - Disse o homem com deboche - Mas voltemos à missão. Um sicário está fazendo bagunça na catedral, pra você só vai demorar 5 minutos. Se precisar, nocauteie-o, depois prenderemos-o por um dia, só pra dar um susto nele.
    "Legal, agora vou ter que mostrar Odin para sicários... Quero que me mandem para a Guerra Santa logo!" - Pensou Raydric.

    Quando chegou na igreja, viu que ela estava totalmente destruída. Os bancos todos quebrados, os candelabros todos jogados no chão e suas velas apagadas, o bispo Vomars tinha fugido, alguns noviços estavam escondidos perto da porta, e várias mulheres estavam amarradas e jogadas em um canto da igreja. O sicário estava falando sozinho, enquanto golpeava os bancos da catedral.
    Raydric entrou e conseguiu tirar tirou os noviços e algumas sacerdotisas da catedral, e mandou-os esperar no castelo até a situação voltar ao normal. Depois voltou lá para tentar falar com o sicário.

    - Ei, amigo, por que você não senta um pouco e se acalma? - Perguntou Raydric com uma voz amigável.

    O sicário, com o susto, pegou uma adaga envenenada e arremessou na direção de Raydric, que conseguiu esquivar-se dela.

    - Amigo? Hahahaha, essa foi boa. Agora é melhor você cair fora, antes que a coisa aqui fique preta.

    Mesmo apesar da calma do sicário, Raydric viu algo de estranho no olhar do sicário, e pela primeira vez que se lembrava, teve medo.

    - E-escuta, você n-não precisa fazer isso...
    - E por que não, frangote? Isso é delicioso, você devia tentar! Hahahaha!

    E após dizer isso, chutou um banco com violência em direção do altar.

    - S-se você não parar... Eu vou ter que...

    Raydric não pôde terminar, pois só conseguiu ver o sicário dando um salto em sua direção. Ele conseguiu se esquivar e atingiu as costas do sicário com um Crux Divinum. A armadura dele foi destruída pelo golpe e as costas dele começaram a sangrar muito. Quando ele percebeu o que Raydric tinha feito, levantou-se rapidamente e cravou sua katar no estômago dele. Raydric caiu, morto.

    Depois acordou em um quarto, onde estavam apenas algumas sumo-sacerdotisas e seu chefe, Michael. Ele o contou que elas tinham tido um imenso trabalho para ressucitar o paladino, mas não tinham conseguido tirar o veneno Beladonna, que estava na katar do sicário.

    - E eles tentaram de tudo, mandaram alquimistas de toda Midgard pra tentar criar alguma poção que me cure, mas não deu em nada. - Dizia Ray, com a mente de volta no seu quarto - Ou quase nada, por que ao menos eu te conheci, né. - Disse ele beijando a testa de Su. Ela estava dormindo. Ele não estava surpreso, sempre que tentava contar a história para Su, ela acabava dormindo. Mas ele preferia assim, não queria vê-la preocupada com ele.
    Ele se preparou para aquela noite, pegou um bom livro e começou a ler. Ele não conseguia dormir, por causa da dor. Estava a três dias sem dormir, só observando Su e lendo alguns livros.

    Raydric acordou. E levou um belo susto quando se deu conta disso, por que não pregava o olho durante três dias seguidos, pois o efeito do Beladonna tinha se agravado, e a dor era insuportável.

    Ele olhou para o quarto, vazio. Onde era para estar Su, estava um bilhete.
    "Fui para Juno, pesquisar sobre um ingrediente na biblioteca. Espero que este funcione. Volto ainda hoje. Beijos, Su."
    Raydric sabia que não ia funcionar. Ela já tinha ido até Arunafeltz para pesquisar sobre um ingrediente típico de Rachel, mas nada tinha surtido efeito. Raydric tentou advinhar qual era o ingrediente dessa vez, mas acabou adormecendo. Novamente.

    Acordou com Su voltando ao quarto, com uma sacola com comida e três livros grandes.
    - Descobri uma coisa em Juno, acho que dessa vez funciona, Ray! - Disse ela beijando a testa do paladino - Vou só tomar um banho e te mostro o que é.

    Depois de vários minutos, que para Ray pareceram horas, Su voltou, vestindo um roupão. Sentou-se em uma cadeira e começou a falar sobre como ela tinha chegado àquela conclusão. Raydric ouviu, sem prestar atenção, pensando no provável gosto horrível que o antídoto devia ter.

    - ... E então, depois que os livros que eu li em Juno confirmavam minha teoria, vim voando pra cá.
    - Tá, mas qual o tal ingrediente secreto? - Disse Raydric impaciente.
    - Sou eu - Disse ela tirando o roupão.

    Raydric acordou, novamente sem Su do seu lado. Mas ele quase nem reparou nisso, pois estava prestando atenção em outra coisa.

    Na dor. Ou na falta dela. Ele não sentia mais aquela dor que estava até acostumado. Levantou da cama com um salto e se beliscou, para ver se não era um sonho. Não, não era. Susane finalmente tinha achado o ingrediente certo! Ray olhou ao redor, tentando achar Su, mas não conseguiu. Mas achou uma carta em cima da mesa onde ficavam suas poções. Ela tinha uns pingos molhados, bem parecidos com lágrimas. Ray leu, com medo.

    "Ray. O 'antídoto' que eu achei, não é um antídoto na verdade. Você só passou o veneno para mim. Não se culpe, eu fiz de propósito. Não conseguia mais te ver sofrendo daquele jeito. Eu provavelmente não vou aguentar muito tempo, então quero que saiba que eu sempre te amei e sempre vou te amar.
    Su."

    Aquilo só podia ser uma pegadinha. Ela não podia ter feito aquilo com ele. Ray se beliscou de novo, para ver se aquilo não era um sonho. Ou um pesadelo. Mas não era, aquilo tudo era real.

    Desceu até a recepção do hotel, para ver se alguém tinha encontrado-a, mas ninguém tinha visto-a. Ele voltou para o quarto, sem saber o que fazer, e quando entrou no banheiro, Suzane caiu em seus braços. Ray não ficou confortado com aquilo, pois ela estava gelada. Muito gelada. Isso só confirmou o que ele já temia, ela estava morta.

    - Raydric, eu sei que você não teve nada a ver com isto, mas você é o principal suspeito da morte dela. Inteligência não é o forte dos cavaleiros.
    - Eu não me importo... Ela se foi, nada mais importa. - Disse Raydric chorando.
    - Ei, acalme-se.. Err, eu preciso que você vá até a cavalaria, eles querem tomar seu testemunho.
    - Tudo bem, Michael, só me deixe ir até a catedral antes.
    - Como quiser.

    Raydric passou pela catedral, vendo o olhar de todos para ele. Pena. Eles já sabiam.

    Subiu as escadas com pressa, não prestando atenção em nada. Não tinha ninguém ali tocando os sinos. Ainda bem. Ele não queria que ninguém visse aquilo. Só depois de feito, por que aí ninguém poderia tentar impedí-lo.

    Aproximou-se da beirada do telhado, e viu os mercadores tentando vender seus itens para casamento. Casamento. Ele pretendia casar-se com Su, mas tinha medo pois podia morrer a qualquer dia. E agora, era ela quem estava morta. A vida... A vida não fazia mais sentido. Ele tinha perdido a vontade de viver.

    Então lançou-se, tomando cuidado para não acertar nenhum mercador. Muitas vidas já tinham sido perdidas naquele dia.




    Espero que gostem.
    @Edit: Ah sim, não consegui achar um nome legal.
    avatar
    Bento
    Moderador
    Moderador

    Mensagens : 533
    Reputação : 18
    Data de inscrição : 23/12/2010
    Idade : 25
    Localização : Rune Midgard

    Re: [OneShot] Veneno

    Mensagem  Bento em Dom Nov 06, 2011 8:36 am

    Legal Pay, muito legal, esse Ray é um verdadeiro idiota neh xD. A Su sofreu por ele, para lhe dar novamente a vida, e o infeliz acaba com a mesma, traduzindo, sequer deu valor ao sacrifício dela @__@.

    Abraços.
    avatar
    Asbrun*
    Hodremlin
    Hodremlin

    Mensagens : 150
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 05/10/2011
    Idade : 21
    Localização : Sao paulo

    Re: [OneShot] Veneno

    Mensagem  Asbrun* em Dom Nov 06, 2011 10:31 am

    nossa que historia legal (limpando as próprias lagrimasT.T)

    Conteúdo patrocinado

    Re: [OneShot] Veneno

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab Jan 20, 2018 12:33 am